Conselhos
Mania de jogar o cabelo pro lado. Mania de sorrir quando sente alguém olhando demais. Mania de coçar os olhos e olhar o visor do celular como se houvesse chegado alguma coisa e não viu. Mania de estudar escutando música e revirar os olhos sempre que escuta, ouve ou vê alguma bobagem. De sorrisos, de olhares, de vozes e cheiros. Mania de achar que nem tudo é aquilo que se vê. De imaginar situações com quem nunca viu e se arrepiar, sorrir, se desesperar por isso. Mania de fechar os olhos antes de dormir e te desejar boa noite em pensamento, dorme bem, sonha comigo, te quero muito e bem.

Caio Fernando Abreu.   (via requiz)
Sei que a tua boca já beijou a outra que não a minha, sei que já amou a outros quando não me conhecia. Mesmo assim, teu carinho me tomou o peito e hoje sem você não mais consigo ser do mesmo jeito.

Los Hermanos.  (via casebre)
Se preocupa não Zé, ninguém em hipótese alguma vai tirar o seu lugar.

Distanciarei.  (via auroriar)
Ela não e qualquer uma, só me aturava quando ninguém mais conseguia.

Thiago Guedes (via auroriar)
E eu estou morrendo de vontade de saber: Isso mata você, como está me matando?

Taylor Swift. (via sou-inseguro)
O meu pai me contava que a primeira vez que a pessoa se apaixona muda a vida dela para sempre, e por mais que você tente, o sentimento nunca desaparece. Esse garoto de quem você me falou foi o seu primeiro amor. E não importa o que você faça, ele vai ficar com você para sempre.

Nicholas Sparks. (via teleportear)
E tem sempre aquela pessoa que te faz dar o sorriso mais lindo, que te faz dar o abraço mais aconchegante, que te faz ver que a vida não foi feita só pra sofrer, que a vida também é feita de felicidade.

Dan. (via felicidadeadois)
Eu queria te contar que agora não dói mais. Só que agora não importa tanto o que você vai pensar sobre isso. Queria que você soubesse que já vi nossos filmes milhares de vezes e nem chorei. Ok, chorei. Mas pelo filme, e não por você. Queria que você soubesse que tirei a poeira das nossas músicas, e que as ouço quase todos os dias. Porque elas me faziam mais falta do que você fez. Os nossos lugares não são mais nossos. Eu já voltei lá com outras pessoas, e escrevi lá outras histórias… Eu estou aprendendo a tocar violão. E a primeira música que toquei foi aquela música que era uma espécie de hino pra nós dois. Ela é tão linda… E sim, ela continua sendo muito nossa e lembrando demais você. Mas ainda sim, não dói. Você não pergunta essas coisas, mas sei que gostaria de saber. Porque te conheço. E isso não mudou. Do mesmo jeito que adivinhei as coisas ruins que você aprontaria, eu sei as coisas boas que ficaram aí em você e te fazem lembrar de mim. Porque a vida segue. Mas o que foi bonito fica com toda a força. Mesmo que a gente tente apagar com outras coisas bonitas ou leves, certos momentos nem o tempo apaga. E a gente lembra. E já não dói mais. Mas dá saudade. Uma saudade que faz os olhos brilharem por alguns segundos e um sorriso escapar volta e meia, quando a cabeça insiste em trazer a tona, o que o coração vive tentando deixar pra trás.

Caio Fernando Abreu. (via inverbos)
Você era meu verso, palavra desmedida que buscava a eternidade. Tudo seu era pra sempre, como se não existisse o mundo lá fora e nem deuses a conspirar contra ou a favor. Era como se ‘nunca mais’ fosse um ponto fora de rota, sabe? E toda nossa poesia seguisse em linhas retas.

Fred Medeiros. (via teleportear)